Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Feio

por Rei Bacalhau, em 17.11.13

O Feio....

 

 

 

O mais fraco e ao mesmo tempo mais forte dos nossos subconscientes. Normalmente está adormecido, ou melhor dizendo, posto em coma pelo Bom e pelo Mau. O Feio, fazendo jus ao nome, é o nosso lado horrível, monstruoso, nojento e pervertido. Não conhece regras, é inteiramente espontâneo e animalesco. De facto, é o que ainda herdamos, como tem obviamente de ser, dos nossos antepassados primatas. Responde no fundo sobre os elementos químicos do nosso corpo, sendo que as suas acções, descontroladas, são puramente de reacção. não existe nenhum raciocínio sobre o mundo em que habita. Este é o lado que é a nossa maior fraqueza, que a tantas más decisões pode levar, se não for impedido pelo senso comum (ou o Bom ou o Mau).

 

O melhor exemplo que posso dar são as pessoas insanas. No fundo o que lhes aconteceu foi terem perdido ou um ou dois subconscientes e terem ficado com o Feio. Só o Bom ou o Mau não são suficientes para controlar a besta que é o Feio, e portanto uma pessoa começa a comportar-se pouco razoavelmente. Todos os dias, nos transportes públicos vêem-se pessoas desequilibradas. É verdade que alguns comportamentos erráticos por parte de algumas pessoas pode ser atribuido ao lado Mau, mas neste caso estou a falar daqueles comportamentos mesmo selvagens e desenfreados que se vêem por aí. Uma coisa seria ser mal educado, por exemplo, como em princípio o Mau faria. Outra coisa é ficar parado numa estação de metro completamente imóvel a olhar para as pessoas com cara de psicopata.

 

O Feio é aquele lado que, numa pessoa equilibrada, muito raramente sobe à nossa superfície social, pois nós conscientemente o suprimimos. Às vezes poderá quebrar as barreiras e obrigar-nos a fazer alguma acção mais inconsciente, mas a regularidade dessa situação deverá ser mínima. No entanto, existe uma situação em que o Feio se desforra: nos sonhos. Apesar de não ter controlo sobre o corpo ainda consegue assim torturá-lo com imagens dos seus maiores medos e desejos inalcançáveis. 

 

O Feio não tem pontos fortes. Apenas fracos. É a nossa última ligação ao reino animal e aos comportamentos primais e talvez essa seja a única razão pelo qual eu ache que este lado possa ser necessário (doutra maneira não teríamos instinto para agir em situações perigosas). Mas de resto, também acho que provavelmente poderíamos viver sem ele.

 

No fundo, é óbvio que o Feio tem muito que se lhe diga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:24


4 comentários

De José da Xã a 17.11.2013 às 20:14

Doa a quem doer, custe o que custar ninguém se conhece na íntegra. Cada ser humano é a soma do seu passado vivido, dos seus desejos e ansiedades e obviamente das suas heranças genéticas.
Ora a parte que todos desconhecemos de nós mesmos pode, desta forma, corresponder ao tal Feio que aqui anuncias. Por muito que determinado homem tenha vivido jamais foi presente a todas as situações que a vida pode proporcionar. E perante um novo e estranho desafio qualquer pessoa sente um certo arrepio e tremedeira. Há quem lhe chame medo… Aqui vem com o nome de Feio… Também é um bom nome!

De Rei Bacalhau a 18.11.2013 às 09:42

Disseste algumas verdades concordantes com o meu texto por um lado. Que ninguém de conheça na ÍNTEGRA, sim, concordo. Mas acho perfeitamente razoável haver pessoas que conheçam o seu lado Feio, ou pelo menos que saibam que ele existe, mesmo não sabendo determinar quando é que está activo.

Perante uma situação nova não é necessariamente sempre o Feio a agir. Aí dependerá da personalidade de cada um dos sub-conscientes. Num cenário de fome em massa, por exemplo como está a acontecer nas Filipinas, é bastante provável que o lado Mau das pessoas esteja bastante activo para arranjar comida. Igualmente pode estar o lado Bom, que partilha a pouca comida com os outros. Pode estar o lado Feio, em que alguém pratica canibalismo. Sei lá, as hipóteses são tantas...

De José da Xã a 19.11.2013 às 18:41

As hipóteses que tu colocas podem ser diversas. Então o que leva alguém a optar, em determinada altura dos acontecimentos, pelo lado Bom, Mau ou Feio? Como é feita essa escolha?
Creio que estamos a passar para o campo dos valores. O que é mais importante para ti pode não ser para mim... E vice-versa. O que equivale a dizer que cada um de nós tem um pouco destes desafios. Mas há , todavia, um que é verdadeiramente preponderante. Ou não?

Este debate pode levar-nos a caminhos ínvios sobre a sociedade e de como ela se encontra estruturada, O que pode ser óptimo aqui, será algo execrável além.

Mas parece-me tema para outro debate.





De Rei Bacalhau a 20.11.2013 às 01:22

Não sei dizer o que nos leva a escolher um lado sobre outro numa certa situação. O que eu observo no comportamento humano é que pode haver uma aliança entre dois dos lados para suprimir o outro. O Bom aliar-se com o Mau é o mais comum, diria eu.

Se compreendi o que estás a dizer, sim, também acho que existe um dos nossos lados que está mais activo que os outros, em termos de proporção. Será preferível que não seja o Feio, mas como disse no texto, as pessoas insanas existem por uma razão.

De facto a sociedade é factor fulcral para esta discussão, especialmente para o Bom, pois esse tem de saber como se comportar adequadamente.

Comentar post




calendário

Novembro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D