Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Música: Fairytale of New York

por Rei Bacalhau, em 22.12.13

No Natal aparecem principalmente três tipos de pessoas:

 

Os alegres pelo Natal, que gozam o Natal no seu total esplendor subjectivo implicador de paz, tradição e alegria generalizada.

 

Os cínicos, que ao contrário dos alegres, desprezam o Natal por centenas de argumentos, lógicos ou não, focando-se primariamente na componente comercial que é o Natal, entre outras coisas.

 

Os indiferentes, em que o Natal é apenas mais um feriado.

 

 

No final dos anos 80, o grupo de "punk céltico" (quase que me dá vontade de rir ao escrever tal expressão) chamado The Pogues lançou uma música de Natal com um toque diferente. Foi subjectivamente considerada por muitas estações de rádio e televisão como a melhor música de Natal de sempre. Opiniões serão sempre opiniões...

 

Mas eis o toque especial: é uma música que consegue agradar a todos os grupos que referi acima. Por um lado a palavra Christmas aparece várias vezes na música, inclusive no refrão. Isso satisfará os alegres, se não ouvirem o resto da letra. Por outro lado responsabiliza o Natal pelas desventuras que ocorrem aos personagens da estória. Isto ajuda os cínicos a mostrar que o Natal é uma "bela merda". Por outro lado ainda, a música até pode ser agradável de se ouvir, o que contentará os indiferentes que simplesmente gostem de música. É um golpe de génio muito bem montado que agrada a todos!

 

Mais seriamente, na verdade, a música tem uma mensagem nada relacionada com o Natal. Este só é envolvido porque o casal do qual a estória parcialmente fala conheceu-se nessa altura. Formaram grandes sonhos e apontaram bem alto para as suas vidas. Depois de uma queda colossal dessa ilusão culpam-se um ao outro em diálogos melancólicos de arrependimento. Promessas por cumprir, sonhos quebrados, miséria geral, e mesmo assim, ainda no final, alguma esperança e amor.

 

Acho que é um excelente tema, e a instrumentação é muito diferente daquilo que costumo ouvir. Esse facto foi muito provavelmente o que me chamou a atenção quando ouvi esta música pela primeira vez há uns meses quando passou na Rádio Nostalgia.

 

(ok, minto, o que realmente me chamou a atenção foi o facto de se usar a palavra faggot na letra; compreenda-se no entanto que neste contexto esta palavra não quer dizer necessariamente o significado a que estamos habituados; na verdade sendo os Pogues um grupo com ascendência irlandesa ou algo do género, é muito provável que nos dialectos deles faggot não seja exactamente uma asneira tão grave)

 

Aqui têm então The Pogues, com Fairytale of New York:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:20


3 comentários

De José da Xã a 23.12.2013 às 23:32

Grande música!
É só o que tenho a dizer...

De João Rosa a 25.12.2013 às 22:49

Os "The Pogues" foram muito mais do que esta música!

De Rei Bacalhau a 26.12.2013 às 10:01

Imagino que sim. Esta música foi claramente apenas um lançamento comercial. A senhora que canta nem era parte da banda, tanto quanto sei.

No entanto, como me costumam dizer, mais vale serem conhecidos por uma só música, mesmo que fosse inferior, do que serem totalmente desconhecidos.

Não é de facto a frase mais correcta para descrever uma situação geral, mas por agora serve.

Comentar post




calendário

Dezembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D